Pesquisar este blog

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

GRAÇA FOSTER QUER EFICIÊNCIA DE 94% EM CAMPOS ATÉ 2016


VAMOS REFLETIR! COM A PALAVRA ANOMYMOUS BRASIL: O que pensam os professores brasileiros


É impressionante como sabemos pouco sobre os principais atores do nosso sistema educacional, os professores. Claro, se você acredita na maioria das notícias e artigos veiculados sobre eles, já deve ter um quadro perfeito formado na cabeça: os professores são desmotivados porque ganham pouco, precisam trabalhar em muitas escolas para conseguir pagar as contas do fim do mês. O sujeito se torna professor, no Brasil, por falta de opção, já que não consegue entrar em outros cursos superiores. Portanto, já chega à carreira desmotivado, e, ao deparar com o desprezo da sociedade e seus governantes, desiste da profissão e só permanece nela por não ter alternativa. Essa é a versão propalada aos quatro ventos. Mas eu gostaria que você, dileto leitor, considerasse uma hipótese distinta. E para isso não quero usar a minha opinião, mas dar voz aos próprios professores. Os dados que vêm a seguir são extraídos de questionários respondidos por professores da rede pública brasileira, em um caso para compor um “Perfil do Professor Brasileiro” da Unesco, em outro em pesquisa Ibope para a Fundação Victor Civita e, finalmente, na Prova Brasil de 2009 (a última com microdados disponíveis. A íntegra dos três pode ser encontrada em twitter.com/gioschpe).
Comecemos pelo início. Não é verdade que os professores caiam de paraquedas na carreira. O acaso motivou a entrada de só 8% dos mestres, e só 2% foi dar aula por não conseguir outro emprego. Sessenta e três por cento dos docentes têm inclusive outros membros da família na profissão. Perguntados sobre a motivação para exercerem a carreira, 53% dizem que é por “amor à profissão” e outros 14% apontam ser para “contribuir para uma sociedade melhor”. Só 15% citam motivos que podem ser interpretados como oportunistas ou indiferentes à função social da profissão (9% mencionam “realização profissional” e 6%, “salário/benefícios oferecidos”). O professor não tem uma má percepção da sua profissão: 81% concordam que são “muito importantes para a sociedade” e 78% dizem ter orgulho de ser professor(a).
As pessoas que optam pela carreira de professor não são derrotadas. Pelo contrário, são profundamente idealistas. Querem mudar o mundo, mudando a vida de seus alunos. Quase três quartos dos professores (72%) acham que uma das finalidades mais importantes da educação é “formar cidadãos conscientes”. Nove entre dez professores concordam que “o professor deve desenvolver a consciência social e política das novas gerações”. Apenas 45% acreditam que “o professor deve evitar toda forma de militância e compromisso ideológico em sala de aula”.
Esse jovem idealista então vai para a universidade estudar pedagogia ou licenciatura na área que lhe interessa (falo sobre esses cursos em breve). Depois começa a trabalhar.
As condições objetivas de sua carreira são satisfatórias. A ideia de que o professor precisa correr de um lado para o outro, acumulando escolas e horas insanas de trabalho, não resiste à apuração dos fatos. Quase seis em cada dez professores (57%) trabalham em apenas uma escola. Em três ou mais escolas, só 6% do total. Um terço dos professores dá até trinta horas de aula por semana. Vinte e oito por cento lecionam quarenta horas (a carga normal do trabalhador brasileiro) e só um quarto dos professores tem jornada acima de quarenta horas por semana. Dois terços dos professores têm estabilidade no emprego — é praticamente impossível demiti-los. Felizmente, casos de violência na escola são menos comuns do que a leitura de jornais nos faria crer: 10% dos professores se disseram vítimas de agressão física no último ano. Por tudo isso, a sensação geral dos professores com sua carreira é de satisfação. Quase dois terços (63%) estão mais ou igualmente satisfeitos com a profissão quando entrevistados do que no início de sua carreira. O grau de satisfação médio do professor, de zero a 10, é de 7,9. Só 10% dizem querer abandonar a carreira.
Essa satisfação é curiosa, porque os professores estão falhando na sua tarefa mais simples, que é transmitir conhecimentos e desenvolver as capacidades cognitivas de seus alunos. Não sou eu nem os testes nacionais e internacionais de educação que atestamos isso: são os próprios professores. Só 32% deles concordariam em dizer “meus alunos aprendem de fato”. Dois terços dos professores admitem que só conseguem desenvolver entre 40% e 80% do conteúdo previsto no ano. Só um terço coloca esse patamar acima de 80%. Sintomaticamente, o questionário do MEC que pergunta sobre esse desempenho nem inclui a possibilidade de o professor ter desenvolvido mais conteúdo que o previsto. O que explica esse insucesso?
Um dos principais vilões é identificado pelos próprios professores: seus cursos universitários. Só 34% dos professores acreditam que sua formação está totalmente adequada à realidade do aluno. Nossas faculdades de formação de professores estão mais preocupadas em agradar ao pendor idealista de seus alunos do que em satisfazer suas necessidades técnicas. São cursos profundamente ideo-logizados e teóricos, descolados da realidade de uma sala de aula média brasileira.
Então se dá o momento-chave para entendermos nosso sistema educacional: o professor sai da universidade, passa em um concurso, chega à sala de aula e, na maioria dos casos, fracassa. Seus alunos não aprendem. Esse professor poderia entrar em crise, poderia buscar ajuda, poderia voltar a estudar, poderia ter planos de apoio de sua Secretaria de Educação. Mas nada disso costuma acontecer, porque não há sanção ao professor ineficaz, nem incentivo ao professor obstinado. O professor que fracassa continuará recebendo seu salário, pois tem estabilidade. Seguirá, inclusive, sendo promovido, pois na maioria das redes a promoção se dá por tempo de serviço ou titulação, não por mérito. Esse professor não será nem incomodado: um dos pilares de grande parte de nossas redes é a autonomia da escola, a ideia de que ninguém pode dizer ao professor o que ou como ensinar. Pais e alunos tampouco costumam se manifestar: confundem uma escola limpa, bonita, que oferece merenda e uniforme com educação de qualidade. O professor pode até faltar ao trabalho sem medo de sanções. Estudo recente sobre a rede estadual de São Paulo mostrou que o professor médio falta em dezoito dos 200 dias letivos. É um índice de falta muito superior até mesmo ao dos outros servidores públicos, que já é maior que na iniciativa privada. Depois de uma investigação de meses com o repórter Rafael Foltram junto às secretarias estaduais, descobrimos que há situações muito piores, com faltas entre 11% e 15% dos dias letivos. E isso é certamente uma subestimação, pois a maioria das secretarias não fica sabendo quando um professor se ausenta durante parte de um dia; algumas só são notificadas em faltas de três dias ou mais. O professor deixa de se preocupar em investir em si mesmo: 74% veem TV todos os dias, mas só 12% leem livros de ficção e 17% participam habitualmente de seminários de atualização.
Mesmo nesse sistema tão permissivo e ineficiente, persiste um problema: os professores sabem que seus alunos não estão aprendendo. E é extraordinariamente difícil a qualquer pessoa continuar em uma carreira, indo ao trabalho todos os dias, sabendo-se um fracasso. Muitos profissionais sucumbem à depressão e ao esgotamento. Alguns abandonam a carreira. Mas a maioria resolve essa dissonância cognitiva (eu sou um bom professor, meu aluno não aprende) de duas maneiras: culpando o aluno e redefinindo o “sucesso”. Alfabetizar e ensinar a tabuada, por exemplo, deixam de ser medições válidas de êxito e passam a ser vistos como “reducionismo”. O importante é a libertação do espírito, e isso qualquer um pode definir da maneira que lhe gerar conforto, no recôndito de sua alma. Já a culpabilização do aluno e de sua família é mais ostensiva. Eis as explicações dos professores para as dificuldades de aprendizagem dos alunos: 94% apontam a “falta de assistência e acompanhamento da família”, 89% citam o “desinteresse e a falta de esforço do aluno” e 84% dizem ser “decorrentes do meio em que o aluno vive”. Nossos alunos, especialmente os pobres, são massacrados por um mar de descrença e descompromisso do sistema que a sociedade financia para educá-los. Só 7% dos professores acreditam que quase todos os seus alunos entrarão na universidade.
Esses professores criaram uma leitura de mundo à parte e completa para se blindarem contra o próprio insucesso. Qualquer crítica ou cobrança só pode vir de algum celerado que pretende privatizar a escola ou quer “alienar” o alunado. Pesquisas não são confiáveis, números mentem, estatísticas desumanizam: os professores não precisam de ajuda, muito menos de interferência. Segundo eles, o exercício da docência é algo tão particular, hermético e incompreensível que não pode se sujeitar aos métodos investigativos que analisam todas as outras áreas do conhecimento humano: só quem vive a mesma situação é que pode falar alguma coisa. Na área da saúde, seria ridículo dizer que um pesquisador de laboratório não pode criar um remédio porque nunca atendeu pacientes com aquela doença ou que um médico só poderia realmente tratar do doente se tivesse passado um tempo considerável internado no hospital. Na educação brasileira, o discurso de que os “de fora” não podem se meter é aceito sem hesitação.
É por isso que me parecem disparatadas as iniciativas que querem usar de aumentos orçamentários para “recuperar a dignidade do magistério” ou melhorar a educação dobrando os salários dos profissionais da área. A maioria dos professores não está com a dignidade abalada. Está satisfeita, acomodada. O professor não se tornará um profissional mais exitoso se não tiver uma profunda melhora de preparo, por mais que seu salário seja aumentado. Se compararmos nosso alto gasto em educação com o baixo resultado que o sistema educacional entrega ao país, o surpreendente é que a autoestima dos educadores esteja tão alta. Ao lidar com o “luto” do nosso insucesso educacional, a maioria dos professores ainda está na fase da negação (a culpa é dos alunos e pais) e raiva (contra o mundo neoliberal, a falta de apoio etc.). Esse mecanismo de defesa tem uma utilidade importante: faz com que o professor possa prosseguir em sua carreira, sem sucumbir ao desespero que fatalmente adviria se percebesse a dimensão de seu insucesso. Mas, para o país, cobra um preço alto. Primeiro, porque aliena os professores bons e aqueles que ainda não são bons, mas são comprometidos, batalhadores. É difícil visitar uma escola em que não haja uma tensão surda entre a minoria comprometida e a maioria acomodada, e os competentes não querem trabalhar em um ambiente de inércia. A reação histérica de muitos professores à página no Facebook da estudante Isadora Faber (que chegou a ser acusada criminalmente de calúnia e difamação por uma professora, o que levou a menina de 13 anos a ter de prestar depoimento em delegacia) é demonstrativa da total intransigência desses profissionais com qualquer denúncia que abale o status quo. Em segundo lugar, e mais importante, essa resistência impede os próprios professores de procurar as ferramentas que poderiam melhorar o seu desempenho acadêmico. Como sabe qualquer terapeuta, só é possível ajudar quem quer ser ajudado.
A sociedade brasileira não pode retirar os maus professores do cargo, pois a maioria tem estabilidade no emprego. Mas tampouco pode tolerar o seu imobilismo. As mirabolantes e simplistas soluções orçamentárias não resolvem esse problema tão difícil: como fazer que professores dessensibilizados por anos ou décadas de cinismo voltem a ter a esperança e o brilho nos olhos que os fizeram optar por essa linda profissão.

DEU NO ANONYMOUS BRASIL: FUNDAÇÃO SP REPUDIA ATAQUE CONTRA SITE DA PUC-SP


Anonymous Brasil

A Fundação São Paulo (Fundasp), organização responsável pela PUC-SP, divulgou na tarde do último domingo (18/11) uma nota oficial lamentando a campanha que vem circulando na internet, cujo principal objetivo é retirar do ar o site da instituição. “A Fundação repudia a conclamação feita aos hackers, nas mídias sociais, para invasão do site oficial da universidade”, afirma a organização.
A campanha foi lançada pelo grupo Anonymous e compartilhada pela página “Democracia na PUC-SP” no Facebook. De acordo com sites de notícias, a página foi criada para “discutir e informar a comunidade acadêmica sobre a mobilização contra a nomeação da nova reitora, Anna Cintra”. O movimento pede que o site da PUC-SP seja tirado do ar por tempo indeterminado.
A comissão de comunicação dos estudantes alega que a campanha “é válida enquanto apoio”. Os alunos afirmam que o material foi divulgado como tantos outros que, de alguma forma, declararam apoio à luta da comunidade.
Confira a íntegra da nota divulgada pela Fundasp:
“A Fundação São Paulo (FUNDASP) mantenedora da PUC-SP desconhece a autoria da NOTA, falsamente atribuída ao Cardeal Odilo Pedro Scherer, Grão- Chanceler da PUC-SP, que circulou nos últimos dias nas redes sociais.
A citada NOTA sobre a nomeação da nova Reitora, Anna Maria Marques Cintra, é uma falsificação lamentável e grosseira do documento autêntico da FUNDASP, com o qual o Grão-Chanceler da PUC-SP a nomeou.
A FUNDASP, reafirmando seu compromisso com a liberdade de expressão, com os princípios éticos e com o cumprimento de seus estatutos e com os da PUC-SP, não pode ignorar tais fatos.
Além disso, repudia a conclamação feita aos hackers, nas mídias sociais, para invasão do site oficial da PUC-SP.
 Nota Anonymous
Sempre seremos a favor da democracia, os alunos estão indignados e protestando e até onde conseguirmos estaremos apoiando a causa dos alunos, já recebemos comunicado também por e-mail com mais informações, segue o e-mail abaixo:
“Uma decisão ditatorial vinda do líder da Igreja em SP feriu como nunca antes a democracia que nós lutamos, a mesma luta que vocês travam. Nós estamos com medo de perder. Precisamos da repercussão da mídia, que na mesma matéria que exibe a decisão unilateral, sutilmente faz com que a opinião pública possa ter uma visão negativa de nossa luta. O site da PUC foi controlado pela Fundação SP que administra PUC –SP e sem aviso prévio, de maneira covarde e autocrática, foi na anunciada a decisão de Odilo Scherer.
Por favor, peço a ajuda para que a mensagem seja retirada do ar, e o site tenha a marca de vocês, caso concordem em nos apoiar.”

CIBERCRIMINOSOS COMEÇAM A CHANTAGEAR QUEM ACESSA SITES DE PORNOGRAFIA


De acordo com um relatório publicado pela Symantec, os crackers desenvolveram um novo método para roubar dinheiro das pessoas que acessam sites de pornografia. Os cibercriminosos criaram um malware que, ao invadir o computador da vítima, exibe ameaças de que a polícia será avisada sobre o acesso a conteúdos pornográficos.
Quando o internauta infectado acessa uma página com fotografias ou filmagens voltadas para o público adulto, o vírus entra em ação e mostra uma tela com a suposta mensagem de algum órgão governamental.
Na nota é informado que o sistema operacional foi bloqueado e que é preciso pagar uma multa em no máximo 72 horas para que a pessoa não seja presa. O FBI é a agência que os criminosos mais usam para intimidar as potenciais vítimas.
 Segundo o levantamento da empresa de segurança, no período de um mês, aproximadamente 68 mil máquinas foram infectadas por essa praga — a qual está sendo chamada de “Ransomware”. Estimativas apontam que os golpistas já teriam lucrado pelo menos 1,9 milhão € (algo em torno de R$ 5 milhões) —, mas esse montante pode chegar a 3,8 milhões € (quase R$ 10 milhões).
Os países mais afetados por esse malware foram Alemanha, França e Reino Unido. O Brasil aparece com um percentual que beira os 5% de todos os golpes realizados.
A equipe de pesquisa da Symantec orienta que os internautas evitem clicar em banners e anúncios publicitários existentes em sites pornográficos e que mantenham os seus antivírus atualizados. Clique aqui para acessar ao estudo na íntegra (PDF em inglês).

MINISTRA DA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS MARIA DO ROSÁRIO ECOA DISCURSO SOBRE PRESÍDIOS


O PRESIDENTE DO PALMEIRA TIRONE, FOI FLAGRADO NESTA SEGUNDA - FEIRA DESESTRESSANDO NA PRAIA DO LEBLON NO RIO DE JANEIRO E IRRITA TORCEDORES


Presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone é visto na praia no Leblon, Rio de Janeiro um dia após o rebaixamento da equipe paulista no Campeonato Brasileiro

Daniel Batista - O Estado de S.Paulo
SÃO PAULO - O presidente do PalmeirasArnaldo Tirone, foi flagrado nesta segunda-feira na praia do Leblon, no Rio de Janeiro, poucas horas depois do rebaixamento da equipe para a Série B do Campeonato Brasileiro. Tirone estava sentado em uma cadeira, sem camisa e de sunga, mandando mensagem pelo telefone. Ele não voltou com a delegação de ônibus para São Paulo. A notícia deixou muitos torcedores irritados. Em entrevista ao Estado, por telefone, o dirigente mostrou-se incomodado com a repercussão que sua decisão de ir à praia teve.
"Fui ao jogo, sofri com o time e nesta manhã de segunda eu tinha uma reunião no Rio de Janeiro. Aproveitei e fiquei por aqui. Qual o problema? Tomei um banho de mar para desestressar. Se o jogo foi em Volta Redonda, no Rio, qual o problema de eu aproveitar e dar uma passadinha na praia? Se o jogo fosse em Piracicaba, até poderiam reclamar de eu estar na praia. Mas foi no Rio de Janeiro. Ficar reclamando disso é maldade pura", defendeu-se o dirigente.
Tirone admitiu que teve uma noite difícil após o rebaixamento do Palmeiras. "Foi duro de dormir. A gente sabe que os erros foram grande e vamos tentar corrigir tudo isso. Temos de fazer uma tomografia no Palmeiras para ver o que aconteceu." Tirone tem uma reunião nesta quarta-feira, em São Paulo, com conselheiros e candidatos à eleição no clube.
Nesta terça-feira, o presidente vai se reunir também com o técnico Gilson Kleina e com o gerente de futebol César Sampaio para dar início ao processo de reformulação da equipe, e para os primeiros passos em busca do acesso à Primeira Divisão. Em 2013, o Palmeiras também disputa a Libertadores da América. 

"SE TODOS FIZEREM AJUSTES, RESULTADO É A RECESSÃO"


ADVOGADOS DE "BOLA" E "MACARRÃO" ABANDONAM O JÚRI


CONHECIDO NO CASO DOS DÓLARES NA CUECA, JOSÉ GUIMARÃES SERÁ LÍDER DO PT

Fonte: O GLOBO PAÍS



Irmão de Genoino, Guimarães ficará com liderança do PT
Foto: Agência O Globo / Ailton de Freitas


Irmão de Genoino, Guimarães ficará com liderança do PTAGÊNCIA O GLOBO / AILTON DE FREITAS


SÃO PAULO E BRASÍLIA — O prefeito eleito de São Paulo, Fernando Haddad, cedeu nesta quarta-feira às pressões do PT e entregou para o partido duas pastas de orçamento robusto. Anunciou que o ex-tesoureiro da campanha eleitoral de Dilma Rousseff, o deputado federal José de Filippi, assumirá a Saúde e o atual líder do PT na Câmara dos Deputados, Jilmar Tatto (SP), ficará à frente dos Transportes.

As indicações foram costuradas na terça-feira, em encontro de Haddad com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Com a indicação de Tatto, poderá ser antecipada a posse de José Guimarães (PT-CE) como novo líder do partido na Câmara. Ele é irmão de José Genoino, ex-presidente do PT, condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a seis anos de 11 meses de reclusão, no julgamento do mensalão. No auge do escândalo, em 2005, um assessor de Guimarães foi preso num aeroporto em São Paulo com dólares na cueca.
Guimarães já seria líder pelo rodízio

Guimarães disse nesta quarta-feira que está pronto para assumir o cargo em fevereiro, mês previsto para a troca na liderança, mas que, se preciso, assumirá antes. Atual vice-líder do PT na Câmara, Guimarães (CE) afirmou que assume a liderança dentro do esquema de rodízio estabelecido há anos pelo PT. Perguntado se a situação do irmão poderia reverter sua indicação, ele disse que não:

O certo é eu assumir em 1º de fevereiro. Mas estou pronto para qualquer momento. E isso (a condenação de Genoino) não tem nada a ver.

No dia da decisão do Supremo, Guimarães defendeu o irmão, afirmando que toda a família, em especial a mãe de 88 anos, estava indignada com a decisão do STF.

A bancada deverá ainda decidir se antecipa a posse de Guimarães ou se outro deputado ocupará a vaga de líder interinamente. O mandato de líder da bancada é de um ano — de fevereiro de um ano a fevereiro do outro.

Para assumir a vaga de secretário de Transportes de São Paulo, Tatto deverá se licenciar do cargo de deputado, assim como José de Filippi. De acordo com a ordem de suplência, devem assumir no lugar dos dois os deputados Iara Bernardi (terceira suplente) e Hélcio Antonio da Silva (quarto suplente). O primeiro suplente, Vanderlei Siraque, já está exercendo o mandato e o segundo, o próprio Genoino, deverá assumir, com a renúncia do deputado Carlinhos Almeida (PT-SP), eleito prefeito de São José dos Campos (SP).

O PT vinha cobrando de Haddad, desde o início deste mês, postos-chave na administração municipal. No início, Haddad se mostrou propenso a não seguir indicações políticas. Para Finanças e Planejamento, por exemplo, preferiu fazer indicações mais técnicas. Em Transportes, também estudava um técnico para a área, mas foi aconselhado por dirigentes do PT a entregar a secretaria para Tatto.

Tatto foi secretário de Transportes na gestão de Marta Suplicy (2001-2004) e abriu mão da pré-candidatura de prefeito, na disputa deste ano, em favor de Haddad. A pasta de Transportes era reivindicada pelo PP, de Paulo Maluf, que agora, segundo líderes petistas, deve aumentar a pressão pela pasta da Habitação. Na semana passada, após encontro com o secretário-geral do PP, Jesse Ribeiro, o presidente municipal do PT, Antonio Donato, garantiu que a sigla terá um cargo de primeiro escalão na prefeitura. Nesta semana, Haddad se reuniu com o ministro Aguinaldo Ribeiro (Cidades), do PP, para discutir o espaço da sigla na prefeitura de São Paulo.

As escolhas são minhas. Eu aceito sugestões, mas a decisão final é minha — disse nesta quarta-feira Haddad.

TIJUCA: RAINHA JULIANA ALVES ESBANJA SIMPATIA E SAMBA NO PÉ EM ENSAIO, RAINHAS DE BATERIAS SIGAM O EXEMPLO, VEJAM AS FOTOS


A nova rainha da Unidos da Tijuca, Juliana Alves, marcou presença no ensaio de quadra da escola no último sábado e mostrou muita simpatia e samba no pé.
Ao som do hino oficial da agremiação para 2013, a morena interagiu com os ritmistas e até arriscou tocar chocalho.
Juliana será coroada no próximo sábado, dia 24 de novembro, com festa na quadra da azul e amarela.
Veja fotos da nova rainha no ensaio:
Fotos: Mauro Samagaio
SIDNEY REZENDE

ISRAEL ADMITE QUE 1/3 DAS MORTES EM CONFLITO SÃO DE CIVIS


O BICHO TÁ PEGANDO NO JULGAMENTO DO EX-GOLEIRO BRUNO, ADVOGADOS TROCAM TAPAS ANTES DO INICIO DO JULGAMENTO


Foto: Reprodução de Internet







Os advogados Ércio Quaresma e Rui Pimenta, que defendem Bola e o ex-goleiro Bruno, respectivamente, se estranharam na manhã desta segunda-feira no Fórum de Contagem (MG). Eles trocaram tapas antes do início do julgamento do processo sobre a morte de Eliza Samudio.
Quaresma disse que Pimenta tirou seus pertences da mesa reserva por ele, e deu um tapa no peito do companheiro de profissão. Em resposta imediata, Pimenta deu um tapa no braço do defensor de Bola.
"Não me põe a mão", retrucou.
O problema foi resolvido após cerca de 5 minutos de discordâncias. A juíza Marixa Fabiane disse que cedeu o lugar para Pimenta após pedido do próprio, alegando que o lugar estava vago.
O julgamento envolvendo o ex-goleiro Bruno, Bola e mais quatro réus pelo assassinato de Eliza Samudio começou com atraso e com os dois defensores citados sentados na mesma mesa do plenário.
Leia mais:

OPERÁRIOS MANTÉM GREVE EM REFINARIA EM SUAPE

VAMOS REFLETIR! COM A PALAVRA JULIAN ASSANGE: SÉTIMO EPISÓDIO DE "O MUNDO AMANHÃ"


Em busca de ideias que podem mudar o mundo, Julian Assange convocou alguns ativistas dos movimentos Occupy de Londres e Nova York para conversar sobre estratégias de mobilização, protestos que utilizam práticas de não-violência e o caso específico do Occupy, suas origens e rumos.
Em meados de 2011, uma  organização canadense fez o seguinte desafio aos norte-americanos “Ocupem Wall Street em 17 de setembro. Tragam suas barracas”. Inspirados por movimentos como a Primavera Árabe e o 15M espanhol, centenas de pessoas ocuparam, num primeiro momento, uma praça no coração financeiro do EUA, em Wall Street. A Zucotti Park foi rebatizada de “Liberty Square”.
Auto-intitulado como um movimento de resistência sem líderes, o Occupy Wall Street (OWS)  adotou e dependeu das ferramentas de comunicação online para coordenar suas ações. A intenção original do OWS, assim como do 15M, era diferente da Primavera Árabe: o que se propunha, inicialmente, era uma reflexão profunda sobre o sistema econômico e político. “Nós não só temos uma crise financeira global, mas temos uma crise política global porque nossas instituições não funcionam mais”, defende um dos participantes.
Sua principal estratégia foram as assembleias gerais para tomar decisões – nomes como Slavoj Zizek e Noam Chomsky participaram delas. Há quem acredite foi justamente isso que gerou uma violenta repressão policial em todo o mundo, quando o movimento se esaplhou para mais de cem cidades.  ”Acho que por estar lá e exercer de forma direta o processo democrático, representávamos uma ameaça e a polícia teve que responder”, diz, na entrevista, um dos participantes do Occupy de Nova York.
Um ano depois, a pergunta segue sendo essencial: e agora?

O GUARDA VIDAS DO CORPO DE BOMBEIROS QUE FOI GRAVEMENTE FERIDO NA TARDE DE ONTEM NA PRAIA DO FORTE, JÁ FOI OPERADO NO HOSPITAL DE SARACURUNA E PASSA BEM


Imagem da internet do guarda vidas Eduardo Moreno Macedo Guimarães



Conforme já foi informado em postagem anterior o guarda vidas do corpo de bombeiros  Eduardo Moreno Macedo Guimarães de 32 anos, que ficou gravemente ferido na tarde deste domingo (18/11), na Praia do Forte, cidade de Cabo Frio que teria entrado na água por volta das 14h50, para verificar as condições do mar.

Quando uma lancha utilizada para puxar banana que costumeiramente é locada por turistas para passeios marítimos em espaço pré determinado pela Guarda Costeira na referida praia, teria passado por cima do salva vidas ferindo gravemente, fazendo um corte profundo em seu braço 

 Rosana Batalha
Imagem do Facebook de Rosana Batalha


Segundo informou a repórter e assessora Rosana Batalha o militar foi transferido de helicóptero para o hospital de Saracuruna especializado em implante de membros onde foi operado e está sobre observações.

Segundo informações das imprensas locais, o proprietário da lancha que também e militar do corpo de bombeiros está em estado de choque pelo fato ocorrido.



O BRASIL TAMBÉM TEM SUAS FAIXAS DE GAZA


JORNALISTA É MORTO EM SUPOSTO CRIME HOMOFÓBICO


DILMA QUER BRASIL COMO DESTAQUE EM INOVAÇÃO