Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 30 de agosto de 2016

SENADO RETOMA JULGAMENTO DE DILMA COM DEBATES ENTRE DEFESA E ACUSAÇÃO

Foto: Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa extraordinária para votar a Denúncia 1/2016, que trata do julgamento do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff por suposto crime de responsabilidade, fotógrafo Edilson Rodrigues/Agência Senado.





Os senadores retomam hoje (30) os trabalhos do julgamento do impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff. Às 10h começam os debates entre acusação e defesa. Os advogados Janaína Paschoal e José Eduardo Cardozo, respectivamente, terão uma hora e meia cada para fazer suas alegações e depois mais uma hora para réplica e uma hora para tréplica. Os debates podem, portanto, durar até cinco horas.

Em seguida, será iniciada a discussão dos senadores. Cada um terá direito a falar por dez minutos, que não podem ser prorrogados e não há direito a aparte. Até a noite dessa segunda-feira (29), 53 senadores já estavam inscritos para falar, mas outros podem requisitar o direito ao debate até o último minuto. O primeiro será o senador Gladson Cameli (PP-AC). A previsão é de que essa fase do julgamento dure cerca de nove horas, podendo se estender se mais senadores se inscreverem.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, que conduz o julgamento, tem concedido intervalos de uma hora para almoço e uma hora para jantar e outros que variam de 30 minutos a uma hora, a depender do ritmo dos trabalhos.

Depois das discussões entre os parlamentares, finalmente será a vez de Lewandowski fazer a seguinte pergunta aos senadores: “Cometeu a acusada, a senhora presidenta da República, Dilma Vanna Rousseff, os crimes de responsabilidade correspondentes à tomada de empréstimos na instituição financeira controlada pela União e à abertura de créditos sem autorização do Congresso Nacional, que lhes são imputados, e deve ser condenada à perda do seu cargo, ficando, em consequência, inabilitada para o exercício de qualquer função pública pelo prazo oito anos?".

Será aberto espaço para encaminhamento de dois senadores favoráveis e dois contrários ao impeachment, com cinco minutos de fala para cada um. Após esse encaminhamento, o presidente da sessão abrirá o painel e os senadores serão convidados a votar. O voto é nominal e aberto, computado pelo painel eletrônico, onde o resultado final será divulgado.




Fonte: Agência Brasil. 

IMPRENSA DOS ESTADOS UNIDOS DESTACA ACUSAÇÃO DE GOLPES FEITA POR DILMA NO SENADO

Foto:  A presidenta afastada Dilma Rousseff faz sua defesa durante sessão de julgamento do impeachment no Senado Marcelo Camargo/Agência Brasil.



A  imprensa norte-americana destacou o discurso feito pela presidenta afastada Dilma Rousseff no Senado brasileiro. O The Wall Street Journal informou que Dilma disse, em discurso de 45 minutos, que as acusações que lhe são impostas são na verdade “uma desculpa para permitir um golpe de estado e que seus inimigos querem reverter o resultado eleitoral de 2014".

Dilma disse que “o que está em risco agora são as conquistas dos últimos 13 anos” de sua administração e a de seu mentor e antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva. Ela falou também falou dos avanços feitos pelo governo em favor dos cidadãos mais pobres do país e sua classe média. “O que está em risco é o futuro do país, a oportunidade e a esperança de avançar ainda mais”, acrescentou Dilma.

O jornal britânico The Guardian, em sua edição americana, ressaltou que Dilma Rousseff decidiu fazer sua própria defesa contra acusações de que manipulou as leis orçamentárias. “Em quase 70 anos de idade, não vai ser agora, depois de me tornar mãe e avó, que vou abandonar os princípios que sempre me guiaram”, disse em seu depoimento.

Já o jornal The Los Angeles Times destacou que Dilma Rousseff assumiu a própria defesa em processo de impeachment movido contra ela no Senado brasileiro. Em seu pronunciamento, de acordo com a publicação, Dilma acusou as elites do Brasil de ameaçar a democracia no maior país da América Latina. “Como todo mundo, tenho defeitos, e eu cometi erros,  mas os meus defeitos não incluem traição ou covardia”, disse Dilma.

De acordo com a publicação, Dilma lembrou aos senadores de que sofreu tortura durante a ditadura militar no Brasil, negou qualquer crime praticado como presidenta do país e disse que os políticos e interesses empresariais poderosos estavam usando um processo de impeachment vazio para derrubar seu governo. "O que está em jogo aqui não é apenas a minha presidência. O que está em jogo é o princípio do respeito das urnas, a vontade soberana do povo brasileiro e da Constituição

Já o jornal The New York Times afirmou que a presidenta afastada do Brasil proclamou no Senado brasileiro a sua inocência, chamou Michel Temer de “usurpador” e alertou aos senadores que a história julgará duramente os que participaram da sessão como juízes, que derrubaram uma “líder democraticamente eleita, sob falsas acusações”.

"Eu sei que serei julgada, mas a minha consciência está limpa. Eu não cometi crime", disse Dilma a senadores, conforme o The New York Times. Segundo o jornal, durante seu discurso, Dilma argumentou que, no início de 2015, os legisladores da oposição começaram a criar um clima de instabilidade, recusando-se a negociar apoio a medidas essências e lançando o que chamou de “bombas fiscais”, ou seja, medidas que aumentam despesas em um momento de declínio das receitas. A publicação acrescenta que Dilma culpou a oposição por ter criado um clima de impeachment, situação que alargou a recessão na maior economia da América Latina.

Em artigo sobre o discurso de Dilma Rousseff no Senado brasileiro, o jornal The Washington Post afirmou que Dilma Rousseff parecia "estar segurando a raiva durante a sua resposta para o senador José Anibal, um ex-companheiro de grupo guerrilheiro e agora adversário. O jornal lembrou que os dois faziam parte do grupo de resistência armada durante a ditadura no Brasil. Por causa de sua longa amizade, Anibal disse que apoiou Rousseff na presidência até por volta de 2012. Mas sua má gestão do setor da energia, disse ele, o fez retirar o apoio.

De acordo com a publicação, Dilma Rousseff, com dois punhos fechados, respondeu: “Lamento que eu tenha feito o senhor se sentir dessa forma, senador”. O jornal acrescentou que o rosto de Anibal ficou vermelho quando Dilma Rousseff passou a dizer que ele não entendia nada do setor de energia do Brasil.



Fonte: Agência Brasil.

CRIVELLA DIZ QUE CHEGOU A HORA DE CUIDAR DAS PESSOAS DAS ZONAS NORTES E OESTE


"fotos: divulgação, fotógrafo Edvaldo Reis."



O candidato a prefeito do Rio, Marcelo Crivella, da coligação Por Um Rio Mais Humano (PRB-PR-PTN), participou de corpo a corpo e carreata em Acari e na Fazenda Botafogo nesta segunda-feira (29/8). Ao contestar com números a gestão de Eduardo Paes, que, segundo Crivella, só fez intervenções na Zona Sul e obras para a Olimpíada, o candidato disse que agora é hora de fazer pelas pessoas das zonas Norte e Oeste da cidade.

- Chega de obras mirabolantes e que atendem apenas aos moradores da Zona Sul. É hora de fazer também pelas zonas Norte e Oeste. Vou trabalhar pelos pobres, como sempre fiz na minha vida. É hora de fazer um feijão com arroz bem temperado. É hora de cuidar das pessoas - afirmou Crivella. 








Vítima de paralisia infantil e locomovendo-se em pequeno skate por não ter cadeira de rodas, Valdeci Correa, de 46 anos, lamenta a falta de estrutura no Hospital Ronaldo Gazzola (de Acari):





- Esse hospital está abandonado. Já passei mal e não tive atendimento. Faltam médicos e até remédios básicos. Quem precisa de atendimento de emergência precisa se deslocar até a Penha - contou Valdeci.

Durante bate papo com os moradores, Crivella identificou algumas graves carências da Zona Norte:

- O Eduardo (Paes) tirou R$ 1 bilhão da saúde para colocar na Olimpíada. Vamos repor esse valor em quatro anos e fazer funcionar o Hospital de Acari com emergência e maternidade. Vamos otimizar a cadeia produtiva da região e investir no gari comunitário para limpar nossas comunidades - propôs Crivella.

Após conversar com eleitores na porta do Hospital de Acari, o candidato seguiu em carreata pelos bairros Fazenda Botafogo, Coelho Neto, Costa Barros e Parque Columbia.



Att: Marco Aurélio Lisan, jornalista e assessor de imprensa.

AGENDA PAULO CÉSAR, TERÇA-FEIRA 30.08.2016

Foto do Facebook do Dr Paulo César, corpo a corpo ao bairro do Peró.  



“Para que se ame uma cidade é preciso que ela se amolde à imagem e semelhança dos seus munícipes e possua a dimensão das criaturas humanas. Isso não quer dizer que as cidades devam ser pequenas, significa apenas que, nas mudanças e transfigurações, elas devam crescer pensando naqueles que as habitam, completam e as tornam vivas: seus habitantes”.

(Paulo César da Guia Almeida)


Uma nova visão sobre o espaço público deve planejar o futuro de uma cidade, incorporando todos os setores sociais, econômicos e políticos que a compõem, de forma a construir um compromisso entre cidadão e Governo, de um projeto que inclua a todos na construção de espaços urbanos humanizados e integrados ao meio ambiente. Eu sou o cara que vai fazer Diferente.


Dando seguimento a minha agenda, confira a programação desta terça-feira (30):


Manhã

10h – Corpo a Corpo no bairro Guarani;

Tarde

15h30 – Corpo a Corpo no bairro Manoel Corrêa;

Noite

19h - Reunião no bairro Jardim Excelsior;

20h30 - Reunião em Tamoios.



Att,

ASCOM/PC45

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

NESTA SEGUNDA-FEIRA O PROGRAMA RODA VIVA EXIBE UMA EDIÇÃO ESPECIAL COM O TITULO: "E AGORA BRASIL?




Nesta segunda-feira, o RodaViva exibe a edição especial “E agora, Brasil?”, sobre a conjuntura nacional e o julgamento do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Estarão presentes na bancada Adilson Dallari, consultor jurídico; Pierpaolo Cruz Bottini, professor de Direito Penal da USP - Universidade de São Paulo; Wadih Damous, advogado e deputado federal (PT-RJ); Gaudencio Torquato, consultor político e professor de Comunicação Política da USP - Universidade de São Paulo; e Flávio Bierrenbach, ex-deputado federal do MDB de Sã Paulo e ministro aposentado do Superior Tribunal Militar - STM.



Às 22h, na TV Cultura.

PM USA BOMBAS PARA CONTER MANIFESTANTES CONTRA IMPEACHMENT NA PAULISTA




As frentes Povo sem Medo e Brasil Popular realizam, neste momento, na Avenida Paulista, uma manifestação em protesto contra o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, cujo julgamento no Senado entrou hoje (29) no quarto dia.

O clima é tenso na região, e a Polícia Militar (PM) chegou a usar bombas de efeito moral para impedir que os manifestantes se aproximassem do prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), entidade que os dois movimentos consideram "patrocinadora do golpe" contra a presidenta afastada.



A caminhada começou por volta das 18h20 na Praça do Ciclista, que fica na Paulista, e chegar até a sede da Fiesp, situada na mesma avenida. A PM fez um bloqueio para evitar que os manifestantes chegassem ao prédio da entidade. Quando estes se aproximaram do bloqueio, por volta das 18h50, os policiais começaram a soltar bombas de efeito moral. Os participantes da passeata correram então para o vão-livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp)m que fica perto do prédio da Fiesp.

O major Teles, responsável pelo policiamento da região nesta segunda-feira, disse aos jornalistas que a PM soltou as bombas porque os organizadores não tinham informado qual seria o trajeto da manifestação.

A PM não fez estimativa sobre o número de participantes do protesto, estimado pelos organizadores em 2 mil.



Fonte: Agência Brasil. 

DEPOIMENTO DE DILMA DEVE SER ENCERRADO ÁS 23 HORAS PREVÊ MINISTRO RICARDO LEWANDOWSKI

Foto: Em pronunciamento, a presidente afastada Dilma Rousseff, fotógrafo Jonas Pereira/Agência Senado.



O interrogatório da presidenta afastada Dilma Rousseff no julgamento do impeachment deve terminar hoje (29) por volta das 23h. A previsão é do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF e do  julgamento, ministro Ricardo Lewandowski, com base no ritmo da sessão.

Dilma já foi questionada por 19 senadores e ainda as perguntas de 31 inscritos. Cada senador tem direito a cinco minutos para os questionamentos, enquanto a presidenta tem usado mais de cinco minutos para as respostas. Com isso, a estimativa é que sejam necessárias no mínimo mais seis horas para o interrogatório e mais uma hora de intervalo, previsto para ocorrer entre 18h e 19h.

Gráficos

Em suas respostas, Dilma tem se esforçado para desmontar a tese da acusação de que ela tenha praticado uma forma de “estelionato eleitoral” em 2014, quando teria ocultado a verdadeira situação das contas públicas durante a campanha eleitoral para ganhar votos.

Foto: Em pronunciamento, a presidente afastada Dilma Rousseff exibe gráfico sobre a queda do preço do petróleo WTI no ano de 2014, fotógrafo Edilson Rodrigues/Agência Senado. A presidenta apresentou gráficos e dados que demonstram que a crise econômica mundial se deteriorou a partir de outubro de 2014, piorando ainda mais em janeiro de 2015. Segundo ela, o preço do petróleo caiu e o dólar subiu em relação a todas as moedas do mundo, o que provocou impacto também sobre o real.

Ainda de acordo com a presidenta, não era possível ao governo prever esse agravamento. “Eu não menti no processo eleitoral”, garantiu Dilma ao senador Magno Malta (PR-ES). “Ninguém sabia que teríamos uma queda de mais de US$40 [no barril de petróleo] nesse processo iniciado em outubro, durante a eleição, mas que fica intenso no início de 2015. Nós não controlamos, nem nós nem ninguém controla, a política do Banco Central americano, nem do governo americano”, completou.

Dilma também voltou a responsabilizar o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pelo processo que está sofrendo. Ao ouvir do líder do PSDB, senador Cássio Cunha Lima (PB) que o processo nasceu nas ruas e não na Câmara a presidenta retrucou.

“Estou dizendo que é um golpe parlamentar. Não concordo que o processo veio das ruas de forma espontânea. Tratava-se de uma chantagem explícita do senhor Eduardo Cunha”, afirmou.

Durante todo o depoimento, a presidenta exemplificou situações em que seu governo teria sido sabotado na Câmara. Segundo ela, as chamadas pautas-bombas e a falta de funcionamento das comissões permanentes da Casa foram formas utilizadas para prejudicar o funcionamento do governo e propiciar o processo de impeachment.

“Deve ser também ressaltado que a busca de reequilíbrio fiscal desde 2015 encontrou forte resistência na Câmara dos Deputados, à época presidida pelo deputado Eduardo Cunha. Os projetos enviados pelo governo foram rejeitados parcial ou integralmente, pautas-bombas foram apresentadas e algumas aprovadas. As comissões permanentes da Câmara, em 2016, só funcionaram a partir do dia 5 de maio, ou seja, uma semana antes da aceitação do processo de impeachment pela comissão do Senado”, acrescentou Dilma.

Script

Apesar do esforço de Dilma para mostrar que foi vítima de um complô contra seu governo, o líder tucano a acusou de fugir das respostas objetivas sobre os crimes de responsabilidade que estão em pauta. Para Cunha Lima, a presidenta compareceu ao Senado com um script pronto para todas as perguntas.

“O que estamos vendo aqui hoje é um espetáculo político e não uma defesa. Com a máxima vênia, vossa excelência não responde às perguntas. Tem um script pronto. Tanto faz se a pergunta é sobre pedaladas fiscais ou sobre decretos, a resposta é a mesma. E creia que justificativas e desculpas em torno de crises internacionais – que foram chamadas no passado de marolinhas – não funcionam como defesa”, concluiu o líder.


Fonte: Agência Brasil. 

PARLAMENTARES BRITÂNICOS CONDENAM "SUSPENSÃO' DE DILMA EM CARTA NO THE GUARDION





Imagens da presidente afastada Dilma Roussef foram estampadas nos sites dos principais jornais mundiais nesta segunda-feira (29) devido ao seu pronunciamento no Senado contra o processo de impeachment. A mídia internacional destacou a acusação da petista de que há um "golpe" em curso no Brasil. As informações são da Agência Ansa. 

De maneira mais ousada, o jornal britânico The Guardian publicou uma carta aberta "condenando a suspensão da presidente Dilma Rousseff". "É completamente errado que alguns poucos parlamentares se coloquem sobre a vontade política expressa nas urnas por 54 milhões de brasileiros", diz a carta, cujo título é "Suspensão de Dilma Rousseff é um insulto à democracia no Brasil".

"O novo governo mostrou suas verdadeiras facetas ao criar um gabinete sem representatividade, somente com homens, lançando políticas neoliberais que ferem milhões de trabalhadores e pessoas de baixa renda. O governo interino não tem mandato para implementar estas políticas", critica o texto. A carta é assinada por mais de 15 parlamentares trabalhistas britânicos, como Richard Burgon, Ruth Cadbury, Lord Martin John O'Neill e Andrew Gwynne.
"Nós estamos ao lado dos movimentos sociais e grupos civis da sociedade para condenar esse atentado contra a democracia no Brasil", finalizou o documento

"Rousseff diz que está ocorrendo um golpe de Estado no Brasil", publicou o espanhol El Pais, na mesma linha adotada pelo francês Le Monde e pelo argentino Clarín.

O jornal norte-americano The New York Times deu ênfase à promessa de Dilma de que "não será calada pelo processo de impeachment". A emissora latino-americana Telesur publicou que Dilma assegurou, durante todo seu pronunciamento, que não violou a Constituição nem cometeu crimes de responsabilidade em seu governo.

"Jamais atentaria contra o que acredito ou praticaria algum ato que seja contrário aos interesses dos que me elegeram", disse Dilma, citada pela rede de TV.  

Desde que foi afastada da Presidência para responder ao processo de impeachment, Dilma acusa a oposição de orquestrar um golpe de Estado e tenta denunciar o "golpe" no exterior. Ela chegou até a mencionar isso, sutilmente, em seu discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, em abril. 

INFORME DO PREFEITO ALAIR CORRÊA: "ESTÁ SENDO EFETUADO O PAGAMENTO DOS COMISSIONADOS REFERENTE O MÊS JUNHO"






        Está saindo nos bancos o pagamento dos servidores comissionados referente ao mês de junho! Parece mentira mas esse pagamento já foi solicitado pela prefeitura a justiça a muitos dias, somente hoje esteja sendo pago. Esperamos que todos os funcionários que faltam referente ao mês de julho sejam pagos até a próxima quarta feira. 


Boa tarde.

"NÃO TIVE A SATISFAÇÃO DE ACOMPANHAR O DISCURSO", DIZ TEMER SOBRE A FALA DE DILMA

Foto: O presidente interino Michel Temer recebe os atletas olímpicos no Palácio do Planalto, fotografo Elza Fiúza/Agência Brasil.



Enquanto Dilma voltava, após o intervalo de almoço, a responder questionamentos dos senadores, o presidente interino recebeu, no Palácio do Planalto, uma delegação de atletas olímpicos.
Perguntado sobre como avaliava o discurso da presidenta afastada no início da manhã, Temer disse não ter tido tempo para assistir à defesa da presidenta afastada. O presidente interino passou a manhã no Palácio do Jaburu, residência oficial da vice-presidência da República.

“Sabe que eu não tive tempo de ouvir. Confesso que não tive tempo de ouvir [o discurso de Dilma]. Fiquei trabalhando em uns despachos e não tive a satisfação de acompanhar o discurso”, disse Temer após o encontro com os atletas.

O presidente interino acrescentou que acompanhará essa etapa do julgamento “com tranquilidade absoluta”. “Sou obediente às instituições e espero respeitosamente a decisão do Senado Federal”, disse.

Rio 2016

O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, também participou da cerimônia. Segundo ele, os bons resultados nos Jogos Olímpicos aumentaram o compromisso do país em dar qualidade e aperfeiçoar os programas esportivos. “Teremos cada vez mais o esporte como política pública de primeira grandeza”, disse o ministro.

Após ouvir a fala de Picciani, Temer reiterou o interesse do governo em, apesar das dificuldades fiscais, investir no esporte. “É mais do que legítimo que sua pasta tenha mais recurso para desenvolver o esporte brasileiro”, disse o presidente interino em discurso, além de ressaltar a importância da atuação da Força Nacional na segurança dos jogos.

Dirigindo-se aos atletas, o presidente interino destacou a boa influência que eles passam aos jovens. “Vocês são brasileiros que dão exemplo para todo o Brasil. Muitos jovens que encontrei têm agora como sonho participar dos Jogos Olímpicos”.

Após o término do evento, ministros de diversas áreas deram início à reunião sobre a organização da Paralimpíada, que começará no dia 7 de setembro. Participam da reunião ministros da Justiça, Turismo, Cultura, Casa Civil, Advocacia-Geral da União e Segurança Institucional. 


Fonte: Agência Brasil. 

BIENAL NÃO É SÓ LIVROS: MUÇULMANOS BRASILEIROS LEVAM MENSAGEM DE PAZ AO EVENTO




Federação das Associações Muçulmanas do Brasil - FAMBRAS recebe público da Bienal em seu stand para promoção da paz, combate à islamofobia e distribuição de 60 mil livros que mostram o verdadeiro islamismo

A Bienal Internacional do Livro de São Paulo começo na última sexta-feira, em São Paulo, e se estenderá até o dia 4 de setembro. A Federação das Associações Muçulmanas do Brasil – FAMBRAS participa como expositora num stand cujo destaque não é o lançamento de nenhuma obra, nem a participação de autores, mas a promoção da paz, do diálogo entre os povos e as religiões e do combate ao preconceito. "Pretendemos mostrar que muçulmanos de todos os tempos participaram da ciência, da cultura, dos esportes e de outros movimentos sociais, na construção do que chamamos de civilização. Não existe um choque de culturas porque fazemos parte da mesma cultura e da mesma civilização”, explica Ali Hussein El Zoghbi, Vice-presidente da entidade.

A FAMBRAS distribuirá, ao todo, 60 mil livros que mostram a essência do Islam, mas o intuito da entidade não é promover o proselitismo neste evento. "Não viemos para convencer ninguém a virar muçulmano, queremos apenas que haja tolerância com qualquer pessoa, de todas as religiões, raças, opções sexuais, classes sociais e culturas. Queremos um mundo em paz, onde qualquer um possa realizar suas escolhas e um grupo não seja visto como violento porque uma minúscula parcela decide usar a religião como bandeira para cometer crimes bárbaros. Os muçulmanos não são violentos, ao contrário: somos um povo que preza pela paz", diz.

O estande da FAMBRAS foi pensado especialmente para expor de maneira lúdica e didática nomes fundamentais para as ciências de origem muçulmana, com grandes inventores da medicina, astronomia, ótica, navegações e caligrafia . A intenção dos organizadores é provocar questionamento e, principalmente, encantamento. Ao se depararem com um novo conjunto de gênios da humanidade e seus inventos, os visitantes adentrarão um universo ao mesmo tempo mágico e esclarecedor. A ação no estande da FAMBRAS promete atrair a curiosidade de crianças e adultos – sempre objetivando a construção de um imaginário mais ampliado, que inclui os muçulmanos e a sua contribuição para o desenvolvimento e a história da humanidade.

Na mesma medida, com os livros e folhetos, será possível o reconhecimento direto dos valores de base do islamismo como a generosidade, a solidariedade e o respeito ao próximo. Nas Bienais do Rio de Janeiro e de São Paulo, e também em palestras em universidades e atividades afins, a FAMBRAS já distribuiu aproximadamente 4,5 milhões de livros sobre a cultura e a sabedoria islâmicas.

Esta é a quinta participação da FAMBRAS na Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Nos anos anteriores, estandes customizados atraíram principalmente os jovens, interessados nos conhecimentos sobre o Islam expostos de forma atraente e didática – em 2015, uma parede com os 99 diferentes nomes designados a Deus, suas transcrições do árabe e traduções, chamou a atenção dos que caminhavam pelo evento em busca de novos conhecimentos. “Esse quadro foi o campeão de selfies. Neste ano, preparamos outro, que com certeza também será bem apreciado”, diz Zoghbi, apenas adiantando que o tema será a paz.

Em 2016, o estande da FAMBRAS espera atrair uma quantidade ainda maior de visitantes, seguindo na linha da interatividade, mas tendo as belezas e mistérios observados pelos cientistas muçulmanos como mote principal. A participação da FAMBRAS na Bienal do Livro de São Paulo faz parte de um dos principais projetos permanentes da entidade, o Conheça o Islam, que também marca presença na Bienal do Livro do Rio de Janeiro e distribui gratuitamente publicações sobre a religião nas ruas das principais capitais brasileiras.




Att; Cristina Thomaz, Jornalista e assessora de comunicação  da Empresa Pautas Comunicação.

A PSICOLOGA DA REDE MUNICIPAL RENATA CRISTINE REALIZA UMA PANFLETAGEM INFORMATIVA E ORIENTADO CONTRA O TABAGISMO NO PAM DE CABO FRIO

Nesta segunda-feira (29) comemora-se o Dia Nacional de Combate ao Fumo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de cinco milhões de pessoas morrem todos os anos devido ao tabagismo, incluindo os fumantes passivos, ou seja, aquelas pessoas que apenas respiram a fumaça produzida pelo cigarro. 

Para chamar a atenção para esse número alarmante em Cabo Frio. A psicologa Renata Cristine, funcionária da rede municipal de saúde de Cabo Frio e coordenadora de Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT)  um projeto de combate ao tabagismo, que é realizado em nossa cidade em parceria com o estado, município e a Igreja São Cristóvão. 


A Psicologa Renata Cristine está neste momento realizando uma panfletagem orientadora e informativa no PAM de Cabo Frio, sobre os malefícios do tabagismo para a saúde e informando como as pessoas que desejam abandonar o vício, deverão proceder para tornar se um assistido do (PNCT).



Os interessados em participar do Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT), deverão se cadastrar e passar por uma análise clinica no PAM de Cabo Frio, às segundas e terças-feiras, das 14 às 17 horas. 

ATENDIMENTOS DE SAÚDE PÚBLICA EM CABO FRIO NO ÚLTIMO FINAL DE SEMANA E PREVISTO PARA ESSA SEGUNDA-FEIRA (29/8)

Foto divulgação é postada em homenagem pelo Blog Álvaro Neves "O Eterno Aprendiz" ao funcionários da saúde municipal diretamente envolvidos no bem-estar e atendimento dos pacientes em estado de internação.  



Segundo informações os atendimentos das instituições de saúde do município de Cabo Frio durante o final de semana, foram conforme abaixo listados:


Nos últimos dias 26, 27 e 28/8 foi realizados um total de 636 atendimentos no Hospital HCE de São Cristóvão. 


Na UPA Tamoios foi registrado 782 atendimentos. 

Hospital Tamoios realizou 597 atendimentos. 

Hospital Otime Cardoso dos Santos também foi registrado 214 atendimentos.





O setor de Combate a Vetores da Vigilância Sanitária, órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde de Cabo Frio, realiza uma ação que tem por objetivo diminuir consideravelmente os índices de infestação em vários bairros da cidade, com uma escala diária. Nesta segunda-feira (29), as equipes vão percorrer  áreas alagadas e vistoriar charcos nos bairros.



*Caminho Verde 

*Guriri

*Parque Central 

*São Cristóvão 

*Guarani 

*Praia do Siqueira

*Manoel Corrêa 

*Estrada de Perynas



O setor de combate a vetores está localizado na Rua José Maria Gil, s/n°, bairro Braga. O telefone para contato é (22) 2644-5271.



Att: Simone Carvalho, lotada na Assessoria de Imprensa da Secretária de Saúde de Cabo Frio.

COM A VOZ EMBARGADA PELO CHORO A PRESIDENTE AFASTADA DILMA ROUSSEFF REALIZA A SUA ÚLTIMA DEFESA CONTRA O SEU IMPEACHMENT





Muita das vezes com a sua voz embargada pelo chora a presidente afastada Dilma Rousseff começou às 9h40 o quarto dia de julgamento da presidenta afastada Dilma Rousseff no processo de impeachment que enfrenta no Senado, acusada de crime de responsabilidade.

Foto: Presidente do Senado Federal, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), recebe a presidente afastada Dilma Rousseff antes da abertura da sessão deliberativa extraordinária que trata do julgamento do processo de impeachment. Depois de chegar ao Congresso Nacional acompanhada do cantor Chico Buarque e do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a petista foi conduzida ao plenário pelo presidente do Senado, Renan Calheiros.

Emocionando-se por mais de uma vez durante o discurso diante de senadores na sessão de julgamento do processo de impeachment, a presidente afastada Dilma Rousseff afirmou hoje (29) que jamais renunciaria ao mandato, mesmo sob a forte pressão feita por seus adversários políticos.  

“Jamais o faria porque tenho compromisso inarredável com o Estado de Direito. Confesso que a traição e as agressões verbais me assombraram e, em alguns momentos, muito me magoaram, mas sempre foram superadas pela solidariedade de milhões de brasileiros pelas ruas”, afirmou.

Dilma falou por mais de 40 minutos na abertura do quarto dia de julgamento e exaltou a força recebida das mulheres. “Nosso povo esbanjou criatividade e disposição para a luta contra o golpe. As mulheres me cobriram de flores e me protegeram com solidariedade”, disse.

A petista afirmou que respeitará qualquer posicionamento, agradeceu o esforço de seus aliados no Senado e direcionou um apelo aos indecisos. “Cassar meu mandato é como me submeter a uma pena de morte política”, afirmou, lembrando que, por mais de uma vez, encarou de frente a morte, como no período em que enfrentou um câncer. “Hoje, eu só temo a morte da democracia pela qual muitos de nós aqui lutamos. Não nutro rancor pelos que votarão pela minha destituição”, afirmou.

Ao final da fala da petista, apesar dos apelos do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, Dilma foi bastante aplaudida por seus apoiadores que acompanham a sessão nas galerias dentro do plenário do Senado. Foi necessário suspender o julgamento por alguns minutos para que a ordem fosse restabelecida.

Acusações

Em seu pronunciamento, Dilma afirmou que os decretos na área econômica não afetaram a meta fiscal, foram editados de acordo com as regras e “apenas ofereceram alternativas para uso de recursos”. Segundo ela, diferentemente do que adversários políticos afirmam ao atribuir aos decretos os atuais problemas fiscais do país, eles ignoram a forte queda de receita e contingenciamento de recursos feito em 2015, “o maior contingenciamento da nossa história”.

Dilma repetiu argumentos defendidos em seu nome ao longo do processo, afirmando que a orientação dada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) sobre a edição destes decretos foi alterada em outubro de 2015, meses depois de serem publicados.

“Os decretos foram editados em julho e agosto de 2015 e somente em outubro o TCU aprovou nova interpretação. Querem me condenar a assinar decretos que atendiam demandas da população e do próprio Judiciário? Decretos que somados não implicaram em nenhum centavo de gasto a mais que comprometeria a meta fiscal”, afirmou.

Golpe

Na parte final do discurso, Dilma Rousseff fez um apelo ao senadores. "Não aceitem um golpe que, em vez de solucionar, agravará a crise brasileira", disse.

"Peço que façam justiça a uma presidenta honesta, que jamais cometeu qualquer ato ilegal. Votem, sem ressentimento, o que cada senador sente por mim e o que nós sentimos uns pelos outros importa menos neste momento do que aquilo que todos nós sentimos pelo país e pelo povo brasileiro", afirmou. "Peço que votem contra o impeachment e pela democracia", concluiu.

Ao rebater as acusações sobre atrasos no repasse de recursos aos bancos públicos responsáveis pelo pagamento de benefícios de programas sociais como o Plano Safra, Dilma afirmou que a lei atribui ao Ministério da Fazenda a competência sobre esta política. Segundo ela, novamente o TCU expediu uma orientação posterior a seu ato.
Ao iniciar a sua defesa a presidente Dilma Rousseff que mesmo mediante a ameaça de alguns senadores que apoia o processo de impeachment que a palavra "golpe" não seria bem recebida durante a referida defesa, sendo replicada em um tom a altura. Mesmo assim  a presidente afastada não se furtou e expressa-la em auto e bom tom. 



Fonte: Agência Brasil. 

MINISTRO RICARDO LEWANDOWSKI ABRE A SESSÃO EM QUE A PRESIDENTE DILMA FARÁ A SUA ÚLTIMA DEFESA FRENTE AO SENADO

Foto: Em pronunciamento, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, fotógrafo Edilson Rodrigues/Agência Senado. 




Neste momento o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, realiza abertura da Sessão do Senado Federal e faz a leitura dos regulamentos e normas vigente para a Sessão da manhã desta segunda-feira (29), onde a presidente afastada Dilma Rousseff fará a sua última defesa oral e poderá responder a perguntas  de 47 senadores já estão inscritos para questioná-la. 

Durante a leitura das normas vigentes o presidente da Sessão ministro Ricardo Lewandowski deixou claro que todos profissionais da Casa, assessores e convidados são todos bem vindos, mas, conforme rege o normas não será permitido a manifestação verbal e por meio de palmas durante a referidas Sessão.  Sendo os infratores sujeitos a ser retirado do interior do Senado Federal.

Cada Senador um terá cinco minutos e Dilma terá tempo livre para as respostas. Antes de responder, a petista irá dispor de 30 minutos para sua defesa, mas, segundo o presidente da sessão do julgamento, ministro Ricardo Lewandowski, este tempo poderá ser prorrogado de acordo com a necessidade da petista.



DILMA E LULA JÁ SE ENCONTRAM NO SENADO ACOMPANHADOS DA SUA COMITIVA FORMADA POR ALIADOS, ASSESSORES E INTELECTUAIS





O ex-presidente Lula, presidente afastada Dilma Rousseff e sua comitiva composta por 40 aliados, entre eles ex-ministros, assessores, intelectuais e artistas  já chegaram no Senado para a oitiva da presidenta afastada Dilma Rousseff. Neste quarto dia de julgamento do processo de impeachment, que deverá ser o mais longo de todos, além de apresentar sua defesa, Dilma irá responder a perguntas de parlamentares.

Até às 8h30 da manhã desta segunda-feira, 47 senadores já estavam inscritos para questioná-la. Cada um terá cinco minutos e Dilma terá tempo livre para as respostas. Antes de responder, a petista irá dispor de 30 minutos para sua defesa, mas, segundo o presidente da sessão do julgamento, ministro Ricardo Lewandowski, este tempo poderá ser prorrogado de acordo com a necessidade da petista.

Os convidados da presidente afastada serão 40: 30 deles ficarão nas galerias e 10 -  assessores mais próximos-  na tribuna de honra - entre eles, ministros de sua gestão, como Aldo Rebelo (Defesa) e Jacques Wagner ( Casa Civil) e artistas como o cantor Chico Buarque e atriz Létícia Sabatella. Além deles, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é aguardado para acompanhar a sessão.

Já entre os convidados da acusação, que serão 30, e ocuparão parte das galerias no plenário, estarão representantes de movimentos sociais como o Vem para Rua e Movimento Brasil Livre (MBL), além de uma filha do jurista  Hélio Bicudo, um dos autores da representação. Bicudo enfrenta graves problema de saúde.

Segurança

Nesta segunda-feira, a novidade em relação à segurança é que a Esplanada dos Ministérios foi completamente fechada, desde a Catedral até o prédio do Congresso Nacional. O acesso está sendo feito a pé ou de carro, por vias auxiliares. Ao contrário de outros dias, o gramado na Esplanada - dividido por um muro de 80 metros - já começa a ser ocupado por manifestantes favoráveis e contrários ao impeachment. A Polícia Militar do Distrito Federal faz a segurança no local.

Histórico

Dilma é alvo de um processo de impeachment, por ter editado, em 2015, decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso e também de usar dinheiro de bancos federais em programas do Tesouro [as chamadas pedaladas fiscais]. A petista foi afastada da Presidência da República pelo Senado há mais de 100 dias.



Fonte: Agência Brasil. 

DILMA FAZ HOJE SUA DEFESA NO PLENÁRIO DO SENADO



A presidenta afastada Dilma Rousseff vai hoje (29) ao Senado se defender das acusações de ter cometido crime de responsabilidade em 2015. Ela responde ao processo de impeachment, sob a alegação de ter editado em 2015 decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso e também de usar dinheiro de bancos federais em programas do Tesouro [as chamadas pedaladas fiscais]. A petista foi afastada da presidência da República pelo Senado há mais de 100 dias.

Na última semana, o Senado ouviu os depoimentos das testemunhas de defesa e de acusação na quinta (25), sexta (26) e sábado (27). Dilma começa a falar às 9h. Inicialmente, terá 30 minutos para a apresentação, mas esse tempo poderá ser prorrogado por mais 30 minutos. A critério do presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, que comanda o julgamento do impeachment, a presidenta afastada poderá ter mais tempo na fase inicial.
Depois da fala de Dilma, terão início os questionamentos dos senadores. Cada parlamentar terá até cinco minutos para fazer perguntas. O tempo de resposta de Dilma é livre e não será permitida réplica e tréplica. Dilma também poderá deixar de responder às indagações dos parlamentares.  Mais da metade dos 81 senadores já se inscreveram para questionar Dilma Rousseff.

O depoimento de Dilma será acompanhado no plenário por cerca de 30 convidados dela. Entre eles estão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do PT, Rui Falcão, do PDT, Carlos Lupi, vários ex-ministros do governo, além de assessores e outras pessoas próximas. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), colocou à disposição da acusação de Dilma o mesmo número de cadeiras que disponibilizou para a petista.

A expectativa é de que a o depoimento dure todo o dia e se estenda até parte da noite. Os senadores que apoiam o impeachment garantem que não haverá enfrentamentos, mas que irão fazer todos os questionamentos. Eles entendem que o comparecimento da presidenta afastada ao plenário não mudará os votos dos senadores.

Os parlamentares contrários ao impeachment, no entanto, acreditam que a fala dela vai mudar votos. O senador Lindberg Farias (PT-RJ) disse que os aliados de Dilma estão depositando todas as esperanças no depoimento. “Acho que vai ser um dia em que o Brasil vai parar. Acho que a presidenta pode mostrar ao país que está sendo vítima de uma injustiça e que não há crime de responsabilidade. Acho que é um dia que pode virar o jogo”, afirmou.



Fonte: Agência Brasil. 

AGENDA DO CANDIDATO PAULO CESAR - SEGUNDA-FEIRA (29/8)

Foto: Reunião no bairro Praia do Siqueira com nosso amigo e candidato a vereador Nico.





 “Os desafios para o futuro são enormes, na medida em que o Município é parte integrante de um grande processo de mudanças em andamento no mundo inteiro”.

(Paulo César da Guia Almeida)

A meta da nossa gestão é adotar soluções inovadoras em todos os sentidos e realizar uma Administração Pública comprometida com a cultura do povo de Cabo Frio, com vistas nos acontecimentos do mundo. Eu sou o cara que vai fazer Diferente.

     Dando seguimento a minha agenda, confira a programação desta segunda-feira (29):


Manhã

10h – Corpo a corpo no bairro Jacaré;


Tarde

15h30 - Corpo a corpo nos bairros Peró e Cajueiro;


Noite:

19h00 e 20h30 - Reunião com candidatos a vereador no bairro Vila do Ar;

Filmagem.

Att,

--

ASCOM/PC45

domingo, 28 de agosto de 2016

AGENDA DO CANDIDATO MARCELO CRIVELLA - SEGUNDA-FEIRA, 29 DE AGOSTO

Imagem inline 3


11h00 - O candidato Marcelo Crivella (PRB) faz corpo a corpo em frente ao Hospital Municipal Ronaldo Gazolla.

Endereço: Avenida Pastor Martin Luther King Jr, 10.976 – Acari.




11h30 - Crivella participa de carreata de Acari a Pavuna.
Ponto de saída: em frente ao Hosp. Ronaldo Gazolla. 



Att: Marco Aurélio Lisan, jornalista e assessor de imprensa. 

FOTOS - GUARDA MARÍTIMA DE CABO FRIO ENCERRA COM CHAVE DE OURO O CURSO BÁSICO DE SALVAMENTO AQUÁTICO/2016



O Blog Álvaro Neves "O Eterno Aprendiz" acompanhou na tarde da última sexta-feira (26/8), o exercício de simulação de salvamento aquático que foi realizado pelo alunos recém formados do Curso Básico de Salvamento Aquático/2016. 

Curso que foi implementado pela prefeitura de Cabo Frio por meio da Secretária de Ordem Pública e da Guarda Marítima de Cabo Frio; sendo totalmente custeado pelo apoio de vários empresários da nossa cidade e cidades adjacentes. 

Durante o exercício foi realizado uma simulação de uma ação de pronto salvamento e resgate, quando vários tripulantes de uma embarcação a deriva, tomados pelo pânico. Se lançam em auto mar, coroando com esse exercício o término do Curso Básico de Salvamento Aquático/2016. 

Durante o exercício os alunos puderam demonstrar todo o seu aprendizado prático e teórico que receberam ao longo das últimas duas semanas.

A simulação de salvamento marítimo foi acompanhada atentamente pelos parentes e familiares dos formandos, representantes de várias instituições de segurança voltadas para as atividades marítimas da nossa região e de outros estados e a imprensa escrita, falada e televisada da nossa Região.


Veja abaixo fotos do evento que finalizou o Curso Básico de Salvamento Aquático/2016.

Foto: Fotógrafa Fátima Neves .